Relato – São Silvestre de Lisboa

O final de ano é sempre sinónimo (além dos excessos com a comida…) das corridas de São Silvestre espalhadas pelo país.

Após um ano de interregno este ano voltaria à São Silvestre de Lisboa, mesmo no centro da capital. A curiosidade era bastante já que há dois anos a prova havia sido de manhã (por coincidir no mesmo dia que a famosíssima prova homónima da Amadora) e queria, então, perceber qual seria o ambiente com o cair da noite.

Adicionalmente, por ainda estar a contas com a lesão no pé, já tinha estabelecido que não ia correr para tempo e apenas para fazer um treino rápido e poder, assim, desfrutar da prova.

Como já vem sido habitual, uma hora e meia antes da prova encontrei-me com a equipa, GFD Running, para a distribuição dos dorsais e começar o aquecimento, em direção aos Restauradores.

Deu ainda para dar umas corridinhas até à hora da partida, às 17:30. É de referir a verdadeira enchente que é a São Silvestre de Lisboa, já que contou com 11500 pessoas e é espetacular ver a Avenida da Liberdade completamente cheia de corredores! Tenho já a possibilidade de começar numa caixa de partida bem junto ao início mas acredito que muito gente só tenha cruzado a linha de partida bem depois do começo.

Como referi anteriormente, este iria ser apenas um treino rápido pelo que não ia forçar o ritmo. Por curiosidade, antes de sair de casa fui ver que tempo tinha feito há dois atrás, 45min baixos e apontei para fazer entre 44-45 minutos.

Tiro de partida dado (depois de uma poderosa rendição do hino português!) e fiz o primeiro quilómetro bem controlado (também não dava para mais, com a quantidade de gente à volta). Chegado ao terreiro do paço afinei o ritmo para os 4:30 e daí seguei até ao km3,5 no ponto de retorno.

Ainda controlado comecei a acelerar um pouco para os 4:20min/km sem nunca forçar. Cheguei novamente à zona do terreiro do paço onde começa o verdadeiro desafio, já que a partir daí seriam cerca de 3 quilómetros sempre a subir. No entanto a verdadeira surpresa foi outra: a GIGANTESCA quantidade de público presente. Mas de onde veio tanta gente?? Regularmente me queixo do – fraco – apoio nas provas portuguesas mas a São Silvestre surpreendeu. E de que maneira! Chega a ser emocionante ver praças como a do Rossio e os Restauradores completamente lotadas com público a apoiar os atletas.

Escusado será dizer que estes quilómetros de fizeram bem (o facto de não ir a forçar também ajudou, claro está) com exceção da subida final da Avenida da Liberdade, que nunca é meiga para as pernas. Já perto da rotunda do Marquês avistei uma colega do equipa. Cheguei-me a ela e juntos fizemos a descida de volta aos restauradores para finalizar mais uma prova!!

O tempo final foi 43:57. Nada de espetacular mas interessante pensar que isto foi feito a ritmo fácil-médio e que há cerca de ano, ano e meio, era este o tempo que fazia a dar tudo. Sinal de que os treinos têm sido produtivos.

No ano passado falhei esta prova mas dificilmente no futuro faltarei. Que melhor maneira de acabar o ano do que a fazer o que mais se gosta?!

Destaque também para a organização da prova, por parte da HMS Sports. Não falham nas outras e não falharam nesta também, com mais uma corrida que decorreu de forma exemplar.

Bom 2019 malta!

(fotos: São Silvestre Lisboa)

Partilha:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *